Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Moda & Style

por Joana Freitas

Moda & Style

por Joana Freitas

 

Como devem de saber, eu sou estudante universitária de Psicologia da Universidade Fernando Pessoa. Como tal, e como muitos estudantes, tenho o meu próprio traje e aprendi as diversas formas que como o usar. Acreditem, vestir o traje pela minha primeira vez é um motivo de grande emoção e alegria. Uma verdadeira marca na vida de qualquer estudante.

 

O traje académico está na origem da própria Universidade em Portugal, introduzido pela Igreja, uma vez que era esta que ministrava o ensino Universitário. Existe desde bastante cedo (e apesar de ocasionais desvios) associado ao traje o simbolismo da humildade e fraternidade. O principal propósito da existência do traje era para não haver distinções entre estudantes pobres e ricos, e estes apenas se salientarem pelo brilhantismo intelectual e não por posses materiais. O traje académico foi realizado para ser discreto, funcional e humilde.

 

De séculos de utilização, o traje foi sofrendo pequenas alterações, e, acima de tudo, particularidades sobre como o usar em determinadas situações. Sendo a Praxe Académica uma força dinâmica e longe de ser inalterável, existem diferentes modos de procedimento entre Academias, Faculdades e mesmo entre cursos da mesma Faculdade…No entanto, muitos requisitos são praticamente universais, entre eles:

 

Traje Académico Masculino:

  • Capa preta;
  • Batina preta de formato não eclesiástico;
  • Calças pretas;
  • Colete preto;
  • Gravata preta;
  • Camisa branca com colarinhos normais;
  • Meias pretas;
  • Sapatos pretos de formato simples;
  • Gorro preto (facultativo), sem borla e sem terminar em bico.

Traje Académico Feminino:

  • Capa preta;
  • Casaco preto;
  • Saia preta travada;
  • Gravata preta;
  • Camisa branca;
  • Meias pretas;
  • Sapatos pretos de formato simples;
  • É tradicional as orfeonistas usarem meias cor de pele.
  • Não existe versão de gala.

Formas de usar o traje:

  • Quando se usa a capa pelas costas, esta deve de ter algumas dobras no colarinho. Podem ser indicativas do número correspondente ao ano do curso em que se está ou quantas matrículas se tem;
  • A capa costuma traçar-se o ombro esquerdo;
  • Quando sobre o ombro, a capa costuma ser posta no ombro esquerdo;
  • À noite a capa deve ser traçada ou, pelo menos, estar pelas costas. No entanto não é um procedimento uniforme, pois varia de Casa para Casa.
  • Em Serenatas, a capa tem absolutamente que estar traçada;
  • Em luto, a Batina deve apresentar as abas fechadas, encontrando-se a capa caída pelos ombros, sem dobras;

Nota: Existem muitas outras formas que não estão nesta lista, mas que facilmente vão aprender no decorrer da vossa vida académica.


Uma mensagem pessoal: Aproveitem muito bem a vossa vida universitária. Frequentem sempre a praxe, pois irão fazer amigos para a vida toda, experienciar momentos únicos e sentir, fortemente, o amor à vossa Universidade! O tempo passa a correr, mas está nas vossas mãos a decisão de viver estes momentos académicos intensamente ou simplesmente ignorá-los! Este tipo de memórias são autênticas pérolas! Com amor, Cátia.

26 comentários

Comentar post